Na beira do Cais

Que saudade do tempo
De jogar com alegria
Me recordo o respeito, o sorisso no rosto
A maior energia

Lá na beira do Cais
Berimbau se ouvia

Eu chegava de branco
E minha roupa branca voltava limpinha, na beira do Cais

Na beira do Cais, berimbau se ouvia

A roda famosa na beira do Cais,
lá no cais da Bahia, na beira do Cais

Na beira do Cais, berimbau se ouvia

O Malandro jogava,
O sorisso no rosto, a major alegria, na beira do Cais

Na beira do Cais, berimbau se ouvia

A cobra picava,
O veneno da cobra não me atingia, na beira do Cais

Na beira do Cais, berimbau se ouvia

Que saudade do tempo, de jogar com alegria,
De jogar com alegria,
Me recordo o respeito, o sorisso no rosto
A maior energia

Lá na beira do Cais,
Berimbau se ouvia

Eu chegava de branco,
E minha roupa branca voltava limpinha, na beira do Cais

Na beira do Cais, berimbau se ouvia

Eu pulava na roda,
minha proteção era a virgem Maria, na beira do Cais

Na beira do Cais, berimbau se ouvia

No jogo d’ Angola,
Eu jogava manhoso e a mandinga saïa, na beira do Cais

Na beira do Cais, berimbau se ouvia

Eu pedia a São Bento,
Sua proteção e São Bento me ouvia, na beira do Cais

Na beira do Cais, berimbau se ouvia

Questa voce è stata pubblicata in Na beira do Cais e contrassegnata con , . Contrassegna il permalink.

Lascia un commento

Inserisci i tuoi dati qui sotto o clicca su un'icona per effettuare l'accesso:

Logo WordPress.com

Stai commentando usando il tuo account WordPress.com. Chiudi sessione / Modifica )

Foto Twitter

Stai commentando usando il tuo account Twitter. Chiudi sessione / Modifica )

Foto di Facebook

Stai commentando usando il tuo account Facebook. Chiudi sessione / Modifica )

Google+ photo

Stai commentando usando il tuo account Google+. Chiudi sessione / Modifica )

Connessione a %s...