Guerreiro do quilombo

Sou Guerreiro do Quilombo, Quilombola
Lê lê lê ô

Eu sou Negro dos Bantos de Angola
Negro nagô

Sou Guerreiro do Quilombo, Quilombola
Lê lê lê ô

Eu sou Negro dos Bantos de Angola
Negro nagô

Fomos trazidos pro Brasil
Minha família separou
Minha mana foi vendida
Pra fazenda de um senhor
O meu pai morreu no tronco
No chicote do feitor
O meu irmão não tem a orelha
Porque o feitor arrancou
Na mente trago tristeza
E no corpo muita dor
Mas olha um dia
Pro quilombo eu fugi
Com muita luta e muita garra
Me tornei um guerreiro de Zumbi
Ao passar do tempo
Pra fazenda eu retornei
Soltei todos os escravos
E as senzalas eu queimei
A liberdade
Não tava escrita em papel
Nem foi dada por princesa
Cujo nome Isabel
A liberdade
Foi feita com sangue e muita dor
Muitas lutas e batalhas
Foi o que nos despertou

Sou Guerreiro do Quilombo Quilombola
Lê lê lê ô

Eu sou Negro dos Bantos de Angola
Negro nagô

Sou Guerreiro do Quilombo Quilombola
Lê lê lê ô

Eu sou Negro dos Bantos de Angola
Negro nagô

Questa voce è stata pubblicata in Guerreiro do quilombo e contrassegnata con , . Contrassegna il permalink.

Lascia un commento

Inserisci i tuoi dati qui sotto o clicca su un'icona per effettuare l'accesso:

Logo WordPress.com

Stai commentando usando il tuo account WordPress.com. Chiudi sessione / Modifica )

Foto Twitter

Stai commentando usando il tuo account Twitter. Chiudi sessione / Modifica )

Foto di Facebook

Stai commentando usando il tuo account Facebook. Chiudi sessione / Modifica )

Google+ photo

Stai commentando usando il tuo account Google+. Chiudi sessione / Modifica )

Connessione a %s...