Dendê

Dendê, dendê
Lalaela, lalaela

Levou rasteira
Balançou, caiu no chão
Se perde a cabeça
Também perde a razão

Pro capoeira
Que não joga, só estranha
Pois acredite
Se bater também apanha

O capoeira
Já nasce natural
Com manha e malicia
Não seja artificial

Quando treinar
Ponha na consciência
Seja capoeira
Não viva de aparência

No jogo duro
Com malícia e com mandinga
Olho no olho
Cuidado, mantenha a ginga