No nego você não da

Era domingo
La no alto da ribeira
Na roda de capoeira
Quando eu vi o nego jogar
Deu meia-lua deu macaco deu rasteira
ele planteu bananeira
e ainda deu salto mortal
Você diz que dá no nego
No nego você não da
Joga o nego para cima
Deixa o nego vadiar

CORO: Dá, dá, dá no nego

No nego você não da

CORO: Dá, dá, dá no nego

Mas se não da vai apanhar

CORO: Dá, dá, dá no nego

Jogo o nego para cima
Deixa o nego vadiar

CORO: Dá, dá, dá no nego

Annunci

Guerreiro do quilombo

Sou Guerreiro do Quilombo, Quilombola
Lê lê lê ô

Eu sou Negro dos Bantos de Angola
Negro nagô

Sou Guerreiro do Quilombo, Quilombola
Lê lê lê ô

Eu sou Negro dos Bantos de Angola
Negro nagô

Fomos trazidos pro Brasil
Minha família separou
Minha mana foi vendida
Pra fazenda de um senhor
O meu pai morreu no tronco
No chicote do feitor
O meu irmão não tem a orelha
Porque o feitor arrancou
Na mente trago tristeza
E no corpo muita dor
Mas olha um dia
Pro quilombo eu fugi
Com muita luta e muita garra
Me tornei um guerreiro de Zumbi
Ao passar do tempo
Pra fazenda eu retornei
Soltei todos os escravos
E as senzalas eu queimei
A liberdade
Não tava escrita em papel
Nem foi dada por princesa
Cujo nome Isabel
A liberdade
Foi feita com sangue e muita dor
Muitas lutas e batalhas
Foi o que nos despertou

Sou Guerreiro do Quilombo Quilombola
Lê lê lê ô

Eu sou Negro dos Bantos de Angola
Negro nagô

Sou Guerreiro do Quilombo Quilombola
Lê lê lê ô

Eu sou Negro dos Bantos de Angola
Negro nagô

Maita Sou eu

sou eu maita sou eu (coro)

Eu vivia nas terra de Angola
quando o senhor me capiturou
mas Zumbi nosso grande rei negro
la do cativeiro ele me libertou

coro

Dentro do grande navio negreiro
nos era humilhado e tambem maltratado
aqueles que ficesem doente
no fundo do mar eles eram jogado

coro

Era eu que inda tinha esperanca
de pra Luanda um dia retornar
mas estou velho com corpo cansado
muito maltratado nao posso caminhar

coro

Eu vivo no pequeno mocambo
eu quase nao ando vivo a lamentar
lembrando minha terra natal
que esta tao distante eu nao posso voltar

coro

Eu sinto um grande vazio
e um aperto no meu coracao
quando eu lembro dos meus ancestrais
ao som do berimbau canto essa cancao

coro

Vou embolar

Vou Embolar Eu vou cantar vou embolar pra voçe ver
Eu vou cantar vou embolar pra voçe ver (coro)
Eu vou cantar vou embolar pra voçe ver
Que nem tudo que e planta
Tem a musica tem a arte
Tambem tem a poesia
Pra puder sobreviver
Tem o sorriso da criança
Que sorre com esperança
De puderse educar,
De ter alimentação
E uma casa pra morar
E o meu povo minha creença
E minha fé que sempre aumenta
E cultura popular
Coragem do Nordestino
Quem caminha sem destino
Para vida melhorar
É poesia do Nordeste
Fala dos cabra da peste
De Ontonio Conselheiro Virgulinho Lampião
Fala da fome da seca Nas entranhas do Sertão
Eu vou cantar vou embolar pra voçe ver… (coro)

Menino de rua

Sou capoeira
Fui menino de rua
Pois é seu moço
hoje a vida continua
Mais eu sou

Sou capoeira
fui menino de rua
Pois é seu moço
Hoje a vida continua

Cunado eu era criança
Eu era discriminado
Muita gente me dizia
Pra deixar capoeira de lado

Dizia que capoeira
Era coisa pra maluqueiro
Que eu tinha que ir pra escola
Pra ganhar muito dinheiro

Eu tinha que ir pra escola
Oi estudar e ser formado
Para ter uma profissão
Ser doutor , ingenieiro , advogado

Mais olha moço
Para mim isso era besteira
O que eu queria mesmo
Era aprender a arte da capoeira

Mais o tempo foi passando
Tudo so ficou pra traz
Hoje eu viajo o mundo inteiro
Mal de mim nao falam mais

Nao falam da capoeira
Nao falam mal de nimguem
Porque hoje eles ja sabem
O valor que a capoeira tem
eu sou

Sou capoeira
fui menino de rua
Pois é seu moço
Hoje a vida continua

Mais eu sou

Sou capoeira
fui menino de rua
Pois é seu moço
Hoje a vida continua

Mais eu sou

Sou capoeira
fui menino de rua
Pois é seu moço
Hoje a vida continua

Essa Arte

Essa arte me encanta
Eu nao quero mais sair
Oh! Bendita capoeira
Que vem do nosso ancestrais

Salve, salve o meu mestre
Que me ensinou o ABC
Deus lhe salve, Deus lhe ajude
Nunca mais vou lhe esquecer

Cada salto é uma reza
Cada reza é uma cançao
E o que fas levar vantagem
E a maliçia do negao

Essa ginga incendeia
Um coraçao de uma donzela
Entre as pedras preciosas
A capoeira é a mais bela

Eu vou girar !
coro : vou girar o mundo
Eu vou girar !
coro : vou girar o mundo
Eu vou girar !
coro : vou girar o mundo, vou girar, vou girar, vou girar EEE

(rep)

Pula Moita

Capoeira que pula moita
Sem saber pra onde vai
Para mim é um filho perdido
Andando sem destino
A procura de um pai

Esquecer suas raízes
E até quem lhe ensinou
Pulando de grupo em grupo
Querendo ser professor

Olha aqui meu camarada
Agradeça ao seu mestre
E a capoeira que tu aprendeu

Assim diz o velho ditado
Nunca cuspa no prato que você comeu

Vai vai vai
Vem vem vem
Capoeira que pula moita
Ele nunca vai ser ninguém, ora vai.